Se você procura qualidade, inovação e bem-estar, seja bem-vindo à DiCorpo!

DiCorpo

Making Of Primavera 2015

Confira imagens da nova coleção da DiCorpo.


13 Dicas para descansar e dormir melhor

1. Mantenha horários regulares:

Trate de levantar-se sempre no mesmo horário, não importando a hora que tenha ido deitar-se. Se você deita tarde na sexta-feira e no sábado para levantar-se muito tarde no domingo, com certeza na segunda-feira terá problemas no trabalho, pois no domingo à noite terá sofrido de insônia. Se viajar muito, tente conservar sua rotina e volte a ela logo que possa.

2. Faça exercícios regularmente:

Com não mais de vinte ou trinta minutos diários de caminhada, jogging, natação, bicicleta, ou a prática de algum esporte pelo menos 3 vezes por semana, você alcançará sua meta de chegar à cama relaxado, tanto fisicamente quanto mentalmente. O melhor momento para realizar exercícios que sejam benéficos a um bom sono noturno é ao final da tarde e no início da noite.

3. Cuidado com os estimuladores:

Os amantes do café, chá, chocolate e refrigerantes devem saber que os efeitos dos estimulantes destes produtos, mesmo que consumidos em doses mínimas, ainda estarão ativos em nosso corpo entre duas a quatro horas depois da ingestão. Ao ingerir substâncias que contenham estimulantes, ao final da tarde ou durante a noite, contribui-se para a diminuição da profundidade do sono e para o aumento dos possíveis Despertares Súbitos.

4. Não fume:

A nicotina é ainda mais estimulante do que a cafeína. Os fumantes têm dificuldades para dormir, despertam com facilidade e têm fases de sono profundo mais curtas. Comprovou-se que o fumante aumenta sua qualidade de sono quando deixa o hábito de fumar.

5. Beba com moderação:

Embora o álcool seja o mais antigo e mais popular sinônimo do sono, deve-se ter cuidado com a quantidade e com o horário em que o ingere. Muito álcool ao final da tarde retardará o sono, e muito álcool no jantar provocará sono precoce. Em ambos os casos, o ciclo normal será alterado.

6. Busque qualidade e não quantidade:

Seis ou quatro horas de sono profundo podem fazer com que você sinta-se melhor do que oito horas de sono leve e interrompido. Não se deve dormir mais do que o necessário. A medida será dada pelo quanto você irá sentir-se bem na manhã seguinte. Se você sentir que recarregou adequadamente suas baterias com seis horas de sono, não será porque você dormiu pouco e sim porque dormiu o suficiente.

7. Se você tem problemas para dormir à noite, não durma à tarde:

Muitas pessoas têm inclinação normal a tirar uma soneca além da conta após o almoço e, sem dúvida, isto avança com a idade. Mas, se o costume conspira contra seu sono noturno, quando sentir sonolência durante o dia trate de evitar dormir realizando alguma atividade física que estimule a pulsação durante dez minutos, isto acelera o metabolismo, espantando o sono.

8. Deixe suas preocupações e planos para outro momento:

Antes de deitar-se escreva uma lista de coisas que deveria fazer, ou seus planos do dia seguinte. Tal tarefa irá tirar de seus ombros a responsabilidade de lembrar. Isso relaxará seu inconsciente. Se seguir discutindo com eles e os mentalizando, não irá resolvê-los, nem conseguirá relaxar. Lembre-se de que seu cérebro conversa sozinho à revelia de sua vontade, por isso, essa lista de “pendências” por escrito tenderá a deixá-lo quieto, sem argumentos para continuar com seu debate solitário.

9. Não se deite após ter comido em excesso ou sem ter comido:

Se comer muito antes de deitar-se, obrigará o sistema digestivo a trabalhar demais. Talvez sinta uma sonolência agradável, mas logo terá sensação de peso que não o deixará dormir bem. Por outro lado, se estiver fazendo dieta, não durma sem comer algo de baixa caloria. Não se pode tentar dormir quando se discute com o estômago. Todo tipo de incômodo orgânico ou físico contribui para o despertar súbito, evitando entrar em sono profundo.

10. Desenvolva um ritual de sono:

As crianças leem ou escutam histórias e rezam suas orações antes de dormir. Você pode escolher seu ritual: escutar alguma música, relaxar os músculos, tomar uma ducha ou ler um livro pode ajudá-lo a conciliar o sono. O importante é que, uma vez escolhido o ritual, este deve ser repetido todas as noites.

11. Tente criar um Ambiente agradável:

Um ambiente agradável é fundamental. Deixe o quarto bem escuro, evite lugares barulhentos e, se possível, regule a temperatura. É fundamental um bom colchão, assim como bons travesseiros e roupas de cama, eles fazem grande diferença.

12. Atividades na cama:

Evite ler, falar ao telefone, trabalhar ou comer na cama. Ela não deve ser associada a outras atividades além de dormir. Isto garantirá um ato mecânico a seu organismo. Toda vez que o inconsciente começa a decodificar seu ritual para dormir, seu corpo imediatamente funcionará para que tudo esteja de acordo.

13. Relaxamento muscular:

Atos como banho quente (preferencialmente de banheira), sauna, alongamentos e massagens relaxam os músculos, o que ajuda bastante o sono durante a noite. Preferível que sejam feitos pouco tempo antes de deitar-se.

Fonte: http://goo.gl/ff7NPJ

7676645672_1a5a13ec48_b


10 dicas para uma vida mais saudável

esps-dicas-vida-saudavel

1 – Evite refrigerantes e atenção aos sucos prontos. O consumo de refrigerantes normais está relacionado a diabetes e obesidade, enquanto o de não adoçados (como light, diet e zero) causa piora do funcionamento dos rins. Já a frutose proveniente das frutas e que adoça os sucos prontos, quando consumida em excesso pode provocar aumento da pressão arterial.

2 – Distribua melhor as refeições ao longo do dia. Tente se alimentar a cada três horas para evitar redução do metabolismo e sobrecarga em determinadas refeições (principalmente à noite). Além disso, evite que o corpo entre na chamada “reserva de energia”, que é quando o organismo entende que, pelo jejum prolongado, precisa armazenar calorias, dificultando a perda de peso.

3 – Aumente o consumo de líquido ao longo do dia, preferencialmente água. A ingestão contínua de líquidos mantém o metabolismo em constante movimento, assim como a atividade das células corporais e o funcionamento do intestino. Não espere a sede. Se ela chegar, é sinal de que o corpo já está desidratado.

4 – Prefira alimentos integrais em substituição aos carboidratos refinados. Os integrais levam mais tempo para serem digeridos, promovendo maior tempo de saciedade e melhor funcionamento do intestino.

5 – Não consuma alimentos muito calóricos no jantar, isso pode prejudicar o sono. Além disso, como o metabolismo fica mais lento à noite, o gasto de calorias nesse período será menor, podendo gerar ganho de peso.

6 – Pratique atividades físicas, elas são fundamentais para promover condicionamento, aumentar a longevidade e diminuir o estresse. Para quem tem mais de 35 anos, exercícios físicos ajudam a manter a massa muscular. A prática é importante porque parte do metabolismo depende da massa muscular.

7 – Só consuma medicamentos sob orientação médica. Sem o acompanhamento profissional, as pessoas tendem a tomar medicação em excesso ou a deixar de tomar medicamentos que realmente precisam.

8 – Durma bem. Para um sono mais tranquilo, evite: refeições pesadas à noite, cafeína depois das 17 horas e exercícios físicos extenuantes no período noturno.

9 – Tenha um hobbie ou faça atividades de que goste bastante, saindo da rotina. É uma ótima maneira de escapar do círculo de pensamentos preocupantes e de manter a motivação.

10 – Procure informação e ajuda para parar de fumar ou de consumir álcool em excesso. O cigarro é fator de risco para inúmeras doenças e sobrecarrega muito o aparelho pulmonar e o sistema circulatório. Já o álcool, além de trazer problemas comportamentais, é bastante nocivo ao fígado e ao pâncreas, que são fundamentais para o nosso metabolismo.

Fonte: http://goo.gl/qIitdn


Seja uma Revendedora DiCorpo

Casa, carro ou viagem? Realize seus sonhos com a DiCorpo. Cadastre-se hoje mesmo em http://revendedora.dicorpo.com.br


Exercícios físicos no inverno

Você pratica exercícios físicos religiosamente, sempre está de olho nas calorias gastas, mas basta os números do termômetro caírem um pouco e a preguiça de se exercitar toma conta do seu corpo. Não é raro conhecer pessoas que são verdadeiros atletas no verão e ursos hibernados na época do inverno.

Segundo o professor de educação física Marcus Mattos, os benefícios alcançados com as atividades físicas começam a se perder já com duas semanas de inatividade. “Aguardar passar a estação mais fria pode representar voltar quase ao seu nível inicial de treinamento”, ressalta o profissional. A fisioterapeuta Patrícia Suassuna explica o que acontece com nosso organismo: “A lei do nosso corpo é economizar energia. Se você está sem fazer alguma atividade, não há necessidade de manter uma musculatura forte sem ser utilizada. Desta forma o músculo vai enfraquecendo e ficando apenas com a força necessária para o que utilizamos no dia a dia”.

Inverno X Verão

Com o frio, o organismo tende a gastar mais energia para manter a temperatura média do corpo, entretanto, os efeitos dos exercícios praticados na estação fria acabam sendo os mesmos dos de verão. “É verdade que no inverno se consome mais calorias, porém, ao iniciar os exercícios, a temperatura já tende a subir naturalmente, não aumentando com isso o gasto calórico da atividade”, destaca Mattos. O especialista lembra ainda que em casos de atividades ao ar livre pode haver um pequeno gasto calórico maior, porém nada significativo.

Não existe uma atividade física mais indicada para a prática durante o inverno. Mas mesmo assim, algumas adaptações podem ser necessárias, devido às condições climáticas. A natação, por exemplo, se não for praticada em uma piscina aquecida, fica muito mais difícil.

Seguindo em frente!

Ok, você não se deixou intimidar e seguiu com os exercícios. Mas será que as atividades devem ser iguais às praticadas nos dias mais quentes? De acordo com Patrícia, devido à queda de temperatura e à necessidade de manter o corpo aquecido, uma série de alterações ocorrem no corpo, entre elas: maior rigidez muscular, diminuição da oxigenação dos tecidos e aumento da viscosidade dos líquidos que circulam nas articulações. Como consequência, essas mudanças irão promover uma diminuição da elasticidade de ligamentos e tendões, além de menor flexibilidade muscular. “Iniciar uma atividade sem uma preparação adequada aumenta o risco de se lesionar”, enfatiza a fisioterapeuta.

Preparar-se para as atividades exige aquecimento e alongamento prolongado

“A preparação aumenta a temperatura corporal e reverte todas as alterações citadas anteriormente, possibilitando que o corpo funcione com maior eficiência e potência muscular”, afirma a especialista.

Também é importante a atenção com a vestimenta. Principalmente atividades ao ar livre requerem roupas e sapatos apropriados para a temperatura. Com as temperaturas baixas, o organismo tende a diminuir o fluxo sanguíneo nas extremidades, isto é, pés, mãos e cabeça, o que pode gerar a diminuição da sensibilidade e até causar lesões na pele. Por isso, luvas, meias e gorros sempre às mãos!

Dica: No inverno, recomenda-se fazer um aquecimento entre 10 e 15 minutos antes das atividades

Dicas para mandar a preguiça embora

Troque as atividades ao ar livre por espaços fechados, como academias e clubes que possuem climatização.

– Lembre-se dos abusos das comidas calóricas e tenha mais um motivo para se exercitar.

– Prefira os horários de sol mais quente, não necessariamente ao meio dia, mas momentos em que o calor dos raios estimule seus músculos aos exercícios. Não esqueça o protetor solar!

– Ouça músicas animadas que estimule você a dançar.

– Chame um colega ou forme um grupo de amigos com o mesmo objetivo.

– Pense que começando agora, dá para chegar ao próximo verão bem melhor e mais em forma que o verão passado.

amigas_correndo_materia

Fonte: http://papofeminino.uol.com.br/mulher/saude-e-bem-estar/exercicios-fisicos-no-inverno/


10 Alimentos Ricos em Vitamina A

Os alimentos ricos em vitamina A ajudam o organismo na reprodução celular, funcionamento dos hormônios, estimula o sistema imunológico, promove o crescimento ósseo e dental, melhora da visão, evita o envelhecimento da pele, cabelo e das mucosas. A vitamina A é uma vitamina solúvel em gordura e, portanto, tem de ser consumido com a gordura, a fim de ter uma melhor absorção.

A vitamina A podem ser obtida através de suplementos ou naturalmente, através dos alimentos. Então, confira os 10 alimentos ricos em Vitamina A.

  1. Batata Doce: A Batata doce é um dos principais alimentos ricos em vitamina A. Pois, a cada 60g de batata doce contém cerca de 1310mg de vitamina A.
  2. Cenoura: A Cenoura é rica em betacaroteno, substância que se transforma em vitamina A no organismo, uma cenoura média fornece 509 µg. Prefira consumir crua, para aproveitar bem os nutrientes.
  3. Óleo de fígado de Bacalhau: Muitas pessoas tomam suplementos de óleo de fígado de bacalhau, como eles são uma forte fonte de vitaminas e minerais. O Óleo de fígado de bacalhau, vem em forma de líquido e cápsula, contém vitamina D, vitamina A, e ácidos graxos ômega 3. Uma colher de sopa de óleo de fígado de bacalhau permitirá que você atender e exceder a ingestão diária recomendada de vitamina A para o dia. A cada porção de uma (1 colher de sopa), contém cerca de 4080mcg de vitamina A e apenas 148 colorias.
  4. Manga: As Mangas são uma excelente opção de alimentos ricos em vitamina A, pois a cor amarela já denuncia que ela possui betacaroteno. Além disso, uma manga que pesa aproximadamente cerca de 200g contém cerca de 805 mcg de vitamina A.
  5. Abóbora: A cor amarela-laranja da abóbora é um sinal que é ela e rica em beta-caroteno, que é convertido em vitamina A no organismo. Uma porção de 100g de Abóbora contém aproximadamente 250mcg de vitamina A.
  6. Couve: O Couve é uma ótima opção de alimentos ricos em vitamina A, pois a cada 100g de seu consumo, contém cerca de 750 mcg.
  7. Espinafre: O Espinafre é um alimento rico em muitos nutriente, principalmente em vitamina A, pois a cada 100g do seu consumo, contém cerca de 670 mcg de vitamina A. Além disso, é recomendado fazê-la no vapor, para conservar os seus nutrientes!
  8. Tomate: O Tomate é um alimento rico em muitas vitaminas e minerais e possui pouca calorias
  9. Mamão: O Mamão é uma ótima opção para o café da manhã e também podem servir de lanche entre as refeições. Por conta do betacaroteno, a fruta fornece 76 mcg por 100g do seu consumo.
  10. Damascos Secos: Os Damascos secos são uma ótima opção para uma dieta e um excelente alimento rico em vitamina A. Pois, a cada 90g do seu consumo, contém cerca de 210mcg de vitamina A.os-Alimentos-Ricos-em-Vitamina-A

Fonte: http://www.saudedica.com.br/os-10-alimentos-ricos-em-vitamina-a/


Confira o Making Of da Coleção Inverno 2015 da DiCorpo


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 96.344 outros seguidores