Se você procura qualidade, inovação e bem-estar, seja bem-vindo à DiCorpo!

Últimas

10 dicas para uma vida mais saudável

Garanta mais disposição e saúde com alertas de médicos e nutricionista.

1 – Evite refrigerantes e atenção aos sucos prontos. O consumo de refrigerantes normais está relacionado a diabetes e obesidade, enquanto o de não adoçados (como light, diet e zero) causa piora do funcionamento dos rins. Já a frutose proveniente das frutas e que adoça os sucos prontos, quando consumida em excesso pode provocar aumento da pressão arterial.

2 – Distribua melhor as refeições ao longo do dia. Tente se alimentar a cada três horas para evitar redução do metabolismo e sobrecarga em determinadas refeições (principalmente à noite). Além disso, evite que o corpo entre na chamada “reserva de energia”, que é quando o organismo entende que, pelo jejum prolongado, precisa armazenar calorias, dificultando a perda de peso.

3 – Aumente o consumo de líquido ao longo do dia, preferencialmente água. A ingestão contínua de líquidos mantém o metabolismo em constante movimento, assim como a atividade das células corporais e o funcionamento do intestino. Não espere a sede. Se ela chegar, é sinal de que o corpo já está desidratado.

4 – Prefira alimentos integrais em substituição aos carboidratos refinados. Os integrais levam mais tempo para serem digeridos, promovendo maior tempo de saciedade e melhor funcionamento do intestino.

5 – Não consuma alimentos muito calóricos no jantar, isso pode prejudicar o sono. Além disso, como o metabolismo fica mais lento à noite, o gasto de calorias nesse período será menor, podendo gerar ganho de peso.

6 – Pratique atividades físicas, elas são fundamentais para promover condicionamento, aumentar a longevidade e diminuir o estresse. Para quem tem mais de 35 anos, exercícios físicos ajudam a manter a massa muscular. A prática é importante porque parte do metabolismo depende da massa muscular.

7 – Só consuma medicamentos sob orientação médica. Sem o acompanhamento profissional, as pessoas tendem a tomar medicação em excesso ou a deixar de tomar medicamentos que realmente precisam.

8 – Durma bem. Para um sono mais tranquilo, evite: refeições pesadas à noite, cafeína depois das 17 horas e exercícios físicos extenuantes no período noturno.

9 – Tenha um hobbie ou faça atividades de que goste bastante, saindo da rotina. É uma ótima maneira de escapar do círculo de pensamentos preocupantes e de manter a motivação.

10 – Procure informação e ajuda para parar de fumar ou de consumir álcool em excesso. O cigarro é fator de risco para inúmeras doenças e sobrecarrega muito o aparelho pulmonar e o sistema circulatório. Já o álcool, além de trazer problemas comportamentais, é bastante nocivo ao fígado e ao pâncreas, que são fundamentais para o nosso metabolismo.

Fonte: http://goo.gl/Azj542

esps-dicas-vida-saudavel

Dos pés à cabeça, 9 tecnologias que ajudam você a entrar em forma

De olho na revolução da saúde e no crescente mercado da medicina pessoal, é natural que as empresas esportivas de ponta e as de tecnologia tentem abocanhar qualquer fatia desse nicho de consumidores sedentos por novidades (e, claro, por uma vida mais saudável). Aparatos e acessórios que unem inovação, design e praticidade – tudo em prol da eficiência física e do bem-estar – são lançados com tanta frequência que chega a ser difícil separar o que é melhor para cada pessoa e cada tipo de modalidade.

1. Medidor de ritmo cardíaco, velocidade, potência e cadência no olhar: na hora da corrida ou da pedalada, nada melhor do que acompanhar o ritmo desempenhado com segurança e precisão. É aí que entra o Sportiiiis, um dispositivo que pode ser fixado aos óculos e que tem LEDs coloridos que monitoram o treino em tempo real. O aparelho evita que o atleta desvie o olhar enquanto monitora seus dados, o que pode ser fatal no caso de ciclistas ou se o treino for em um local com intenso fluxo de veículos. As estatísticas recolhidas são enviadas via comando de voz.

2. Mp3 à prova d’água sem fone de ouvido: nadar com o estímulo da música favorita é o mundo ideal para quem curte treinos longos na piscina. Mas não é nada fácil ajustar os fones de ouvido dentro da touca de silicone, não é mesmo? Pensando nisso, o Finis Neptune’s usa uma revolucionária transmissão de áudio por condução óssea. Funciona assim: o dispositivo conta com alto-falantes que ficam presos na altura da bochecha do nadador (podem ser adaptados ao óculos de mergulho) e fazem o osso dessa região vibrar, levando as ondas sonoras diretamente para o ouvido. Duvida? A empresa garante!

3. Monitor de atividades para “vestir”: wearable. As pulseiras que são verdadeiros computadores estão ganhando fôlego extra com novidades recentes que só incorporam qualidades técnicas. A Adidas anunciou nesta semana o Fit Smart Adidas, um bracelete em silicone que é um verdadeiro rastreador de atividade projetado para corredores e esportistas em geral. O dispositivo em LED na lateral do aparelho – nas cores azul, verde, amarelo e vermelho – identifica o ritmo do treino e chega a vibrar quando é hora do usuário diminuir o fôlego. A venda começa em meados de agosto.

4. Tênis tecnológico com sensor biométrico: o curioso tênis Runsafer promete ajudar a melhorar a sua caminhada, dando dicas até do tipo de pisada. O produto, que faz parte de um grande projeto desenvolvido na Europa, trabalha em conjunto de um acelerômetro e um GPS, acumulando dados que serão enviados por ele a um aplicativo de smartphone, que analisa as informações e recomenda maneiras de melhorar a caminhada.

5. Garrafinha esperta: por fora, a Umoro One parece uma garrafa de água simples para a academia, mas com o toque de um botão, ela libera o conteúdo de proteína, shake ou qualquer outro pó de bebida preferida armazenada previamente em um dispositivo na própria tampa pelo usuário. É boa durante o treino e, principalmente, depois, pois reúne água e suplementação em um único recipiente sem precisar levar mais de uma garrafa para a academia.

6. Sensor inteligente para tornozelo: já imaginou medir a pressão sofrida pelos tornozelos durante a prática de esportes? É o que promete o Sensoria Smart Sock, que vai fixado às meias para obter feedback da região e ainda proporcionar precisão na contagem de passos, velocidade da caminhada ou corrida, calorias gastas, altitude e rastreamento de distância. Além disso, promete controlar a pisada e identificar a propensão a lesões na região. Por fim, usa um aplicativo para “treinar” o corredor em tempo real através de sinais de áudio.

7. Garfo inteligente: o HAPIfork tem um dispositivo que reconhece os movimentos do usuário durante a refeição, repassando via Bluetooth para um aplicativo dados sobre o perfil e o padrão alimentar do dono, como o ritmo das garfadas, por exemplo. Passou dos limites ou está devorando a comida rápido demais? O garfo avisa vibrando que é hora de diminuir o ritmo.

8. Meia de compressão: as meias de compressão se tornaram uma verdadeira febre entre os esportistas. Inicialmente utilizados na área médica, esses produtos estão presentes em diversos esportes hoje em dia, mas principalmente entre os praticantes de corrida e triatlo. Eles foram criados para ajudar a reduzir a sensação de cansaço e o peso nas pernas após provas e treinos longos, evitando o acúmulo de sangue e diminuindo o risco de lesões.

9. Colete biométrico: o Hexoskin é uma camiseta com sensores de movimento, respiração e atividade cardíaca que gera relatórios sobre o exercício realizado e ajuda a melhorar o desempenho físico do atleta. O bom: tem conexão via bluetooth com aplicativos móveis. Segundo a empresa, o produto é uma camiseta simples de ser usada e não um acessórios desajeitado e complexo.

Fonte: http://goo.gl/cE6w5s

16693070

8 dicas para ganhar tempo

Planeje a semana

“Pense nos papéis que você exerce profissional, mãe, esposa, amiga e coloque no plano semanal coisas que se destinem a melhorar sua qualidade de vida e de suas relações. Que tal uma massagem ou um cinema? Comece incluindo só dois itens do gênero depois surgirá tempo para mais. Distribua, então, na agenda as tarefas de sete dias. No início, ocupe apenas 50% do seu tempo e deixe espaço para encaixes. Aumente quando sentir que está conseguindo cumprir o planejado. Delegue o que puder.

Liste suas prioridades

É difícil ser multitarefa e eficiente ao mesmo tempo. Assim, quando precisamos tocar várias atividades simultaneamente, o jeito é driblar distrações. Para isso, é fundamental anotar as prioridades e segui-las. “Dividir as tarefas em blocos por afinidade também funciona. Exemplo: programe-se para fazer todos os telefonemas de que precisa no dia de uma vez. Isso ajudará a manter o foco. Pausas curtas para tomar um café ou dar uma volta são importantes, já que trabalhos prolongados levam à perda da concentração.

Não adie as tarefas chatas

Costumamos deixar muita coisa para depois, inclusive tarefas simples, como beber água. Pior ainda se temos uma incumbência maçante pela frente, como um relatório. A procrastinação é um grande ladrão do tempo. Organize-se e pare de adiar. Ajuda encaixar as atividades chatas no período do dia em que você é mais produtiva e, antes de iniciá-las, fazer uma pausa para recarregar as baterias. Divida a missão em blocos de, no máximo, 30 minutos para não desanimar. E elimine possíveis interrupções, como avisos de chegada de e-mails.

Acompanhe tudo

A diferença entre as pessoas que gerenciam bem o tempo e as que pecam nesse quesito é a capacidade que as primeiras têm de fazer follow-up de tudo, ou seja, cobrar respostas e reavaliar pendências regularmente. Isso vale para o trabalho e a vida pessoal. Como o dia a dia consome nossa atenção, essa iniciativa ajuda a direcionar a agenda para o que interessa de fato, a evitar esquecimentos e cumprir prazos. Quem delega tarefas e deixa o prazo estourar sem perguntar em que pé estão as coisas e sem renegociar nova data-limite perde a credibilidade.

Reduza a quantidade de reuniões

Fuja da atual mania de marcar reunião para tudo. Dica número 1: o primeiro sinal de que aquela que já está marcada deve ser cancelada é não haver entre os participantes alguém com poder de decisão. Mas, antes de convocar uma, tente resolver a questão em conversas individuais ou, se o assunto envolver pessoas de fora do escritório, por telefone, Skype ou afins. Às vezes, a solução até já existe e só é preciso comunicá-la à equipe, o que pode ser feito por e-mail. Saber selecionar convites – e recusar os que não são tão importantes – também é essencial.

Aprenda a dizer não
“
Não é natural na nossa cultura, especialmente para as mulheres, dizer não”, acredita Barbosa. Isso acontece porque associamos a recusa a grosseria ou deselegância. Ter clareza do que vale a pena pessoal e profissionalmente é o ponto de partida para superar essa dificuldade. Quando se esquivar de um convite ou pedido, porém, procure dar justificativas verdadeiras e nunca use “talvez”. Caso a solicitação parta do seu chefe, mostre as prioridades atuais e peça ajuda a ele para determinar o que pode ficar para depois.

Cuidado com as redes sociais

Se usadas com sabedoria, as redes sociais são boas aliadas para ampliar e manter seu networking – algo indispensável para qualquer carreira. Mas, se você não for disciplinada ou se tornar membro de várias delas, isso roubará porções preciosas do seu tempo. A receita, segundo o expert: “Escolha as redes que realmente interessam e separe só uns minutos do dia para acessá-las”. Outra providência é configurá-las para que não lhe enviem notificações a cada novo post ou comentário de seus contatos. Ou você não fará mais nada.

Gerencie sua energia

Muitas pessoas até sabem se planejar. O problema é que não cumprem depois o que programaram por falta de disposição. Se você é uma dessas, atenção: há truques para aumentar sua energia. Beber água é um deles, pois potencializa as funções cerebrais. Outro é comer em horários certos, já que longos jejuns diminuem o nível de glicose no sangue e, com isso, cai a capacidade de absorver novas informações. Praticar atividade física também ajuda.

Fonte: http://goo.gl/78Ismb

ilustracao-mulher-cacando-relogio-57623

Conheça alguns hábitos que podem mudar a sua vida

Saiba mais sobre o método que ajuda a consolidar mudanças de comportamento. Com ele, fica mais fácil incorporar as práticas saudáveis no seu dia a dia:

Etapa 1. pré-contemplação ou diagnóstico
Nessa fase, você precisa detectar o que não está correndo da maneira como gostaria na sua rotina. Você se sente cansada? Estressada? Tem problemas com o peso? Os relacionamentos profissionais e familiares não vão muito bem? É o momento de refletir sobre a necessidade de programar mudanças para viver melhor.

Etapa 2. Contemplação ou reconhecimento
Você já considera a necessidade de mudança, mas ainda arruma mil desculpas para não fazê-la? Antes de seguir adiante, avalie quais são as recompensas emocionais que tem com o estilo de vida atual e quais são as reais motivações para mudar. Vale fazer uma lista com essas informações para comparar.

Etapa 3. Preparação ou planejamento
Agora é o momento de estabelecer um plano, com metas e prazos definidos para alcançá-las. Crie condições favoráveis à adoção do novo hábito. Talvez você precise incluir nessa fase pequenas mudanças comportamentais que serão decisivas, como contar o número de calorias que ingere ou tirar a TV do quarto se pretende dormir mais cedo.

Etapa 4. Ação
Dependendo do tipo de mudança almejada, pode ser necessária alguma ajuda externa, de um psicólogo, preparador físico, nutricionista ou mesmo de amigos que possam motivá-la a seguir em frente. Vale recorrer a aplicativos, redes sociais e até grupos de ajuda. Outra dica: faça um diário para você anotar como se sentiu durante a nova atividade e as conquistas alcançadas.

Etapa 5. Manutenção
Você chegou à fase final, quando o novo hábito já dá prazer e foi incorporado à rotina. É um momento desafiador: relaxar agora pode abrir uma brecha para que velhos hábitos reapareçam.
Recaída: É um evento possível e previsto no processo de mudança. Não se torture, mas fique alerta: retome o plano imediatamente, com ainda mais afinco.

Fonte: http://goo.gl/S2mzTD

329-hora-de-mudar

Veja cinco erros cometidos pela manhã que atrapalham o dia

 A correria diária nos obriga a sempre fazer as coisas com pressa, dormir mal, comer mal e no final do dia, depois de incontáveis tarefas, esses hábitos só pioram o estresse. O Huffington Post elaborou uma lista de cinco erros cometidos logo pela manhã e que, se consertados, podem proporcionar um dia mais agradável. Confira a seguir.

Levantar depressa: você pula da cama pronta para começar as tarefas do dia. O problema pode exigir muito os músculos das costas, muitas vezes ainda rígidos pela manhã, após horas de descanso, disse o especialista em quiropraxia e sono, Robert Oexman. O movimento brusco pode causar dores ou até mesmo lesões nas costas. Outro motivo para sair da cama com mais calma é que o sangue “corre” para as penas, o que pode causar tontura, principalmente em mulheres, afirmou Alan Hilibrand, cirurgião ortopédico. O especialista recomenda às pessoas, antes de levantarem, abraçarem os joelhos em direção ao peito para aquecer os músculos e fazer o sangue fluir por todo o corpo.

Deixar o quarto escuro enquanto de prepara para sair: deixar as cortinas fechadas  pode criar um ambiente aconchegante para pegar no sono, mas não traz benefício algum no momento de despertar. Para começar o dia em um estado de espírito positivo e ajustar o relógio interno, a luz solar é fundamental, segundo pesquisadores da Universidade Feinberg. O conselho dos especialistas para a manhã é quanto mais luz, melhor.

Só cuidar de você à tarde: a maioria das pessoas que tem uma vida corrida no trabalho acordam e se arrumam rapidamente, almoçam com pressa  e só se dão conta de como estão cansadas à tarde. No entanto, um estudo da Universidade de Minnesota descobriu que se os funcionários iniciam a rotina em um estado de espírito positivo, o humor ajuda a tornar os momentos do dia mais agradáveis, do que se o dia teve início de uma forma ruim. A pesquisa mostrou que uma manhã bem-humorada faz com que a pessoa sofra menos com interações negativas de colegas de trabalho. A dica é: anime-se antes de começar o dia.

Ajustar o alarme para às 6h47: pessoas por vezes colocam o despertador para um horário mais cedo do que pretendem levantar  e os especialistas condenam o hábito, pois prejudica e desregula o sono noturno. Tente  se levantar quando o alarme dispara e não 10 ou 20 minutos depois.

Fazer exercícios logo depois de acordar: você deveria tomar café da manhã para alavancar o metabolismo antes, mas isso parece impossível quando acorda já atrasada para a aula se spin. Ignorar a refeição é um problema. Você fez jejum durante toda a noite e precisa de alimento para repor as reservas de energia.  Uma fruta ou cereais secos antes da academia já fazem toda diferença.

Fonte: http://goo.gl/aquB5G

Imagem

Como reduzir o consumo de sal

Reduzir o consumo de sal faz bem para a saúde e também para a dieta. Isto porque, segundo a Organização Mundial da Saúde, o brasileiro ingere mais que o dobro da quantidade recomendada. O ideal é menos que 5 gramas por dia, mas, em média, se consome 12 gramas. Chamado de cloreto de sódio, o sal é muito importante para o organismo. Esse mineral controla a hidratação dos tecidos e a pressão arterial,  e auxilia as funções dos neurônios e outras células. Por outro lado, quando consumido em excesso, pode aumentar a pressão arterial, causar retenção hídrica, aumentar o risco de câncer gástrico, formar cálculos renais e impulsionar a osteoporose.

Reduzir o sal

Substitua o sal por outros temperos como orégano, alho, cebola, salsinha, cebolinha, alho-poró, ervas frescas ou secas (manjericão, hortelã, alecrim e outras);

  • Não deixe o saleiro na mesa;
  • Experimente a comida antes de colocar o sal;
  • Evite usar temperos artificiais;

 Fuja dos embutidos e industrializados. “Além do excesso de sódio, os embutidos também possuem altas concentrações de conservantes

Tempere seu sal

A opção de sal temperado também auxilia a reduzir o consumo de sódio, principalmente porque substitui os temperos prontos. Confira quatro receitas para fazer com o sal:

SAL DE LIMÃO

  • Raspas de dois limões (tahiti ou siciliano);
  •  8 colheres de sopa rasas de sal grosso;
  •  Alecrim desidratado (opcional).

 Soque os ingredientes em um pilão ou bata no liquidificador. Guarde em um recipiente bem fechado.

 SAL DE ERVAS

  • 3 tipos de ervas secas a gosto;
  • Sal;
  • Cebola e alho desidratados (opcional).

Em um liquidificador, coloque a mesma medida de todos os ingredientes e bata. Guarde em um recipiente com tampa e use na mesma medida que o sal comum.

Fonte: http://revistashape.uol.com.br/shape/saude-e-bem-estar/como-reduzir-o-consumo-de-sal/

shutterstock_109124096.jpg

5 lições para usar suas fraquezas a seu favor

Separamos algumas dicas para você aumentar a autoestima e conquistar tudo o que deseja.

1. Permita-se sentir tudo

Apesar de as vulnerabilidades estarem sempre ligadas a sentimentos negativos, elas também nos permitem vivenciar o lado bom do desconhecido. Estar alegre, por exemplo, é desligar nossos sensores de alerta para o mundo e curtir o momento sem temer ser julgado. Às vezes, por medo da exposição, nos fechamos. No extremo, somos capazes até de destruir momentos bons com pensamentos trágicos. Ambas as atitudes limitam nossas possibilidades. Sentir plenamente, sem temer o que vem a seguir, atrai gente para perto de nós. E compartilhar desprotegido leva a um vínculo maior e a mais autoconfiança.

2. Não perca tempo com comparações

A grama do vizinho é sempre mais verde, como diz o ditado. Mas apenas aos nossos olhos. É comum criarmos uma imagem falsa do outro, achando que é mais bem-sucedido, feliz, realizado e sem defeitos. Com isso, entramos em um ciclo de insatisfação e passamos a traçar objetivos baseados no próximo. Pior: quando fracassamos, a comparação com o outro nos deixa ainda mais frustrados – justamente por causa da visão distorcida que criamos. Aceitar nossas imperfeições é um processo de mudança profunda e envolve aspectos essenciais, como abraçar até as fraquezas, cultivar a autenticidade e acreditar em nós mesmos.

3. Abra mão de ter 100% de controle

No mundo ideal, teríamos sempre domínio da situação. A proteção seria total. Contudo, na realidade, não dá para fugir. Quem muito tenta manter as rédeas da situação desperdiça tempo e potencial com o que é secundário. Por exemplo: imagine que você tem algo nas mãos que não quer mostrar para ninguém e, bem nesse momento, um amigo se aproxima. Será impossível se concentrar na conversa porque você estará pensando em como esconder o objeto. Agora, troque o objeto por uma vulnerabilidade sua. Todo o esforço de esconder drena a energia do que realmente deveria receber atenção.

4. Dê menos peso ao fracasso

Vivemos em uma sociedade que valoriza líderes e vencedores. Esse movimento gera a chamada cultura da escassez: nunca nos consideramos suficientemente bons. Por isso, é normal relacionar os retornos que recebemos diretamente à nossa capacidade e autoestima. Se nos dão uma boa avaliação, o amor-próprio recebe uma injeção de ânimo. Quando o comentário é ruim ou não tão bom, porém, vira um golpe, e a gente se sente um lixo. Falhar em algo não faz de você uma pessoa pior. Essa associação, aliás, pode ser extremamente destrutiva. Não encare a falha como algo definitivo ou determinante. Assim, conseguirá restabelecer sua segurança e seguir adiante.

5. Rejeite o perfeccionismo

Você gasta horas na realização de uma tarefa pequena para evitar erros e acha que isso é esforço pela excelência? Não se engane. O perfeccionismo é um mecanismo para mascarar vulnerabilidades. Libertar-se da necessidade de acertar garante mais tranquilidade para experimentar e dar vazão às habilidades. É comprovado que, quando nos permitimos falhar, abrimos mais espaço e adquirimos mais autonomia para produzir com criatividade e inovação qualquer que seja o desafio.

Fonte: http://goo.gl/2yg6QF

Imagem

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 96.313 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: